PATENTES USADAS POR CIVIS

Muito dos civis de hoje, atuam como voluntários segundo a Lei Federal de nº Lei nº 9.608, de 18 de fevereiro de 1998 que habilitou diversos projetos no Brasil com uma visão diferente.

Antes de falar sobre esse tema, gostaríamos de relatar um fato aqui que vai esclarecer quando isso começou no Brasil. Por favor, observe no artigo abaixo descrito.

A Revolta Feminina aos Torpedeamentos

Quando o Brasil começou a ter seus navios mercantes torpedeados, a população começou a revoltar-se, e principalmente as mulheres, que não podiam suportar tal ofensa. As mulheres brasileiras jamais se furtaram à sua obrigação, ao seu dever patriótico de defender a sua Pátria. Imbuídas desse espírito de patriotismo, procuraram encontrar uma forma de atender a esse chamamento e a maneira encontrada foi preparando-se para tratarem os futuros feridos. As Escolas de Enfermagem encheram-se de jovens candidatas a enfermeiras. Como não havia tempo hábil para formar enfermeiras profissionais, cujo curso tinha a duração de 3 anos, foram criados dois outros cursos: de Samaritanas, que era um Supletivo de Enfermagem com a duração de um ano letivo, e o de Voluntárias Socorristas, com 3 meses de treinamento.O número de enfermeiras profissionais era muito pequeno, assim, resolveram aceitar qualquer diploma de curso de Enfermagem, fosse o de profissional, cuja duração, como disse, era de 3 anos, o de Samaritana, de 1 ano letivo, ou o de Voluntária Socorrista, de 3 meses. Uma vez apresentado o diploma de habilitação ao atendimento ao doente, qualquer que fosse o grau, no Curso que seria ministrado, no Exército seriam feitas a seleção e o aperfeiçoamento, específicos para a guerra. O Curso de Emergência de Enfermeiras da Reserva do Exército (CEEREX) foi ministrado em sua maioria com integrantes desses dois cursos, e a FEB contou apenas com 6 enfermeiras profissionais. Uma vez elaboradas as leis de convocação, teve início o recrutamento. Naqueles idos de 1940, havia uma carência muito grande de Enfermeiras Profissionais (como eram chamadas as atuais Enfermeiras de Alto Padrão). Contou-me o Gen. Souza Ferreira que, certo dia, os americanos a ele se dirigiram perguntando: “E as suas enfermeiras?”, e o Gen. respondeu: “Não temos”. Os americanos se mostraram surpresos e disseram que nós teríamos que ter as nossas próprias enfermeiras, pois as deles estavam já muito cansadas e, além do mais, não falavam a nossa língua. Partindo dessa pressão dos americanos foi que nossas autoridades se movimentaram no sentido de organizar uma equipe de enfermeiras. Face a essa situação é que foi criado o Corpo de Oficiais Enfermeiras do Exército.

Assim se formou o primeiro grupo de Oficiais Voluntárias no Brasil. Um grupo de mulheres que se sentiram indignadas com o que ocorria em nossa costa que estava sendo bombardeada pelos alemães em plena Primeira Guerra Mundial e que no ano de 1942 tivemos a primeira turma Formada das voluntária Socorristas, um curso de 3 meses realizado no Palácio  de Tiradentes, podem seguir o conteúdo na integra no link Heróis da guerra.

Não apenas esses relatos contam o inicio desta jornada. Nos tempos atuais, temos diversos Grupos de Associações em todo o Brasil com civis recebendo patentes militares para apresentar e representar as suas respectivas unidades.

Uma dessas Entidades é o Corpo de Bombeiros da BR 116 norte da Cidade de Tucano e o Grupamento Tático Resgate da Cidade de Feira de Santana, ambas do Estado da Bahia.

Essas entidades foram coordenadas com Regimentos Internos que definem a organização de seus membros com as respectivas moneclaturas:

 O Comandante:

Tenente Coronel de Brigada, Major, Capitão, Tenente, Sargento e os Soldados e os Recrutas.

Todas essas patentes não induz que eles sejam militares, ou contrários, todos recebem uma credencial de validade interna com referencia entre essas duas unidades que apenas os identificam como Bombeiros Voluntários.

Todos eles recebem um curso de Bombeiro Civil, conforme a ABNT NBR 14608 ou a ABNT NBR 14206 Formação de Brigada de Incêndio.

Com essa formação, os mesmos se habilitam para atuar como Brigadistas Voluntários e/ou Bombeiros Voluntários com suas respectivas patentes conforme demonstra o site Bombeiros de Serrinha – BA.

Este Artigo visa esclarecer a todos que querem e pretendem entender como funcionam esse trabalho. Pedimos que vocês comentem e nos ajudem enviando documentários para nosso site.

 

 

 

Um comentário em “PATENTES USADAS POR CIVIS

  1. o corpo de bombeiro da Bahia esta de parabéns por dar uma oportunidade aos civis que querem presta serviço a comunidade salvando vidas como bombeiros civis parabéns

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s